16 janeiro, 2011

"E minha invisibilidade involuntária continua aumentando. Cada vez menos notado, ou lembrado. Minha falta é que faz de mim uma célebre memória."

Nenhum comentário:

Postar um comentário