31 outubro, 2012

Noite Escura no Meu Quarto

Eu vi, juro que vi. A sombra de uma vassoura passando por aqui.
Mesmo que embriagado de sono, impossível me enganar.
O luar está entrando pela janela e parecendo dois faróis.
Como eu confundiria se passei o dia todo vendo Bruxa Onilda?
Parece que até ouvi uma risada bizarra... Mas claro que ouvi.
Se isso não fosse verdade eu não estaria debaixo do cobertor.
Ai, que calor! Acho que a ponta do meu dedão do pé está de fora...
Mas não arrisco conferir, acho que ouvi ela pousar por aqui.
O que é que ela quer de mim? Eu sempre fui um bom menino.
Será que ela vai me engordar para depois me comer? Espera!
Eu juro que ouvi! Ouvi pegadas! Será que ela tem verrugas?
Eu não posso dormir, tenho que aguentar firme, não posso dormir.
Mas caso ela me surpreenda, prefiro não ver os dentes, nem o nariz.
Se ela vier me pegar eu pulo da cama, corro e pego a vassoura.
Quebro aquela vassoura! Quero ver ela me levar daqui.
Ai, não aguento mais bocejar!
Estou gelando, mas não quero olhar, nem por um buraquinho sequer.
Eu juro que vi a sombra da vassoura, eu juro que senti um perfume ruim.
                                         zZz
Não acredito! Consegui pegar a vassoura, mas não me lembro como.
Muito menos como consegui me equilibrar e começar a voar.
Não interessa, por que eu sabia que ela era fraca, e que eu conseguiria.
Escapei e a pobre coitada ficou lá, sem poder voar, nem a varinha ousou usar.
                                          zZz
Nossa que calor, acabei cochilando. Parece que nem consigo respi...
Ainda debaixo da coberta?
Calma, a bruxa ainda pode estar aí, só esperando um vacilo meu.

Um comentário: