02 dezembro, 2012

Respiração


            O processo de inspiração tem início com a entrada do ar pelas narinas - as aberturas do nariz - que são a delimitação anterior da cavidade nasal, que é separada medialmente pelo septo nasal, formado por dois ossos e cartilagem, etmoide superiormente, vômer inferiormente e cartilagem septal anteriormente. O ar é filtrado no vestíbulo onde existem pelos e aquecido e umedecido por todo o trajeto até a chegada aos pulmões, devido o revestimento de mucosa das estruturas. Passa pelo átrio e pelas conchas nasais (superior, média e inferior), delimitações laterais da cavidade nasal. Entre as conchas nasais estão os meatos (superior, médio e inferior), no meato médio se encontra o hiato semilunar, desembocadura do infundíbulo que faz a ligação da cavidade nasal com o seio paranasal frontal. Saindo da cavidade nasal por sua delimitação posterior, as coanas, chega à nasofaringe, passando pelas tonsilas faríngeas e pelas tonsilas tubárias, que são tecidos linfoides com função de defesa. Ainda no trajeto, o óstio faríngeo da tuba auditiva (comunicação da nasofaringe com a cavidade timpânica do ouvido médio), tórus tubário (cartilagem da tuba auditiva), pregas salpingofaríngea (faz abertura do óstio faríngeo durante a deglutição) e salpingopalatina (tensor do véu do palato). Descendo pela orofaringe, onde estão as tonsilas palatinas e após, laringofaringe.  Essas três regiões, nasofaringe, orofaringe e laringofaringe, compõem a faringe, que apresenta duas funções, passagem de ar no sistema respiratório e passagem de alimentos no sistema digestório. Com a epiglote aberta o ar tem livre passagem para a laringe, mas se fosse algum líquido ou alimento fazendo o trajeto, a epiglote estaria fechada para impedir aspiração para o pulmão. A laringe é composta por músculos (sustentados pelo osso hioide, que sustenta também a base da língua) e por um conjunto de cartilagens, tireoide (anteriormente), cricoide, aritenoide, corniculada e cuneiforme. É divida em três regiões também, supraglote, glote e subglote. Na glote estão as pregas vestibulares, superiores às pregas vocais, primordiais para a fonação. O ar segue pela traqueia, composta de anéis cartilaginosos e ligamentos. A traqueia se divide em brônquios primários e a bifurcação recebe o nome de Carina. Estes se dividem em brônquios lobares ou secundários, cada um ventila um lobo pulmonar (o pulmão direito com três lobos e o esquerdo com dois lobos, menor devido a sua face mediastínica onde se acomoda o coração), que se dividem em brônquios segmentares ou terciários, que se ramificam até virarem bronquíolos, terminando em alvéolos pulmonares. Nos alvéolos ocorre a hematose, que é a troca gasosa, na qual o sangue venoso é oxigenado e o dióxido de carbono é liberado pela expiração. O processo de inspiração tem ajuda dos músculos intercostais, peitoral maior e menor, serrátil e o diafragma, o mais importante, se contraindo. Na saída, o ar percorre os mesmos caminhos, bronquíolos, brônquios terciários, secundários e primários, traqueia e laringe, com ajuda dos músculos abdominais, o reto do abdômen e o oblíquo externo. Na laringe pode ocorrer dois processos, a expiração em si, ou a fonação, dependendo de como estão as pregas vocais, aduzidas ou abduzidas. Para a expiração os músculos cricoaritenoideos posteriores fazem a abdução das pregas vocais e para a fonação os músculos cricoaritenoideos laterais fazem a adução, produzindo voz. Continuando a expiração, o ar pasa pela laringofaringe, orofaringe, nasofaringe, chegando à cavidade nasal até sair pelas narinas, o que não impede a saída de ar pela boca. Já na fonação, a vibração do ar produzido pelas pregas vocais aduzidas, sobe pela laringofaringe e chega a orofaringe, adentrando a cavidade bucal, onde a articulação de ponto e modo produzirá os fonemas que se ordenarão formando morfemas que, posteriormente, produzirão a fala, e ressoará na cavidade nasal e nos seios paranasais. Para a expressão da fala e expressões faciais que são complementares, será necessário um grupo de músculos faciais. São eles: orbicular do olho, prócero, nasal, zigomático, levantador do lábio, levantador do ângulo da boca, risório, orbicular da boca, abaixador do lábio, abaixador do ângulo da boca, mentoniano, masseter e bucinador. Assim, está completo o ciclo respiratório.


Para não dizer que não estudo.

2 comentários:

  1. Oh menino que estuda viu?! Esse vai loooonge! Vc é um gênio!

    ResponderExcluir